domingo, 29 de julho de 2012

E mais uma chuva de energia solar a chegar...

No dia 25 - o tal dia fora do tempo dos Maias - houve uma nova explosão solar que chega à Terra entre dias 28 e 30 ;)
Prepara-te!
Toneladas de energia para nos servir! O que escolhes?
Abundância de vida? Uma vida wahoo? (lembras-te? espreita aqui)

(www.spaceweather.com)

Os potenciais são ilimitados... 
Será que te atreves a fazer essa escolha e a permitir-te receber?
Ir além da zona de conforto?

Lembra-te: 2012 é o ano! Tudo está a postos... 

Basta dares o primeiro passo: amar-te... a ti mesmo/a... incondicionalmente.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

...e no 1º dia do novo ano no Calendário Maia...

Astrologia não é a minha área de interesses, mas sem dúvida esta estrela pentagonal e suas conexões dão a sentir muitos potenciais ;)

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Gronelândia perde quase toda a cobertura de gelo em quatro dias

Imagens da NASA revelam perda quase total da camada de gelo da Gronelândia

A calota de gelo da Gronelândia derreteu quase por completo em apenas quatro dias. Imagens de satélite mostram que, entre os dias 8 e 12 de Julho, desapareceu 97% do gelo que cobria a superfície daquele território, pertencente à Dinamarca. 

É o degelo mais vasto de que há registo nos 30 anos de observações de satélite da ilha, alerta a NASA, cujos cientistas, ao princípio, relata o jornal “The Guardian”, julgaram haver um erro. Mas depois confirmaram os dados. 

“Os cientistas estão muito cautelosos, porque é, mesmo assim, um evento que nunca tinha sido seguido de forma tão directa, através de imagens de satélites. Há aqui alguma precaução, mas sem dúvida indicações de que as alterações climáticas estarão associadas a este evento extremamente significativo, não apenas pela área em causa, mas também pela rapidez”, afirma à Renascença Francisco Ferreira, da Quercus. 

Durante o Verão, é habitual derreter cerca de metade do gelo da Gronelândia, mas a situação detectada agora é considerada invulgar. 

Os cientistas alertam para as previsíveis consequências à escala planetária, desde logo no aumento do nível da água do mar, que costuma ser de três milímetros por ano. 

“Olhamos sempre para a Gronelândia como um termómetro do aquecimento global e esta não deixa de ser uma surpresa que pode ter um significado muito negativo, mas está a ser interpretada de forma muito cuidadosa, porque acabou de acontecer e numa dimensão que não era nada esperada”, afirma o ambientalista da Quercus. 

À Renascença, o meteorologista Costa Alves disse que este rápido derretimento da camada de gelo pode estar associado ao aquecimento global. Na mesma linha, Filipe Duarte Santos, investigador sobre mudanças globais e alterações climáticas, lembra que a camada de gelo na Gronelândia tem vindo a mudar e agora é preciso estudar a sua evolução.

O degelo registado pelos satélites da NASA é o segundo acontecimento invulgar na Gronelândia em poucos dias, depois de um icebergue do tamanho da ilha de Manhattan se ter separado do glaciar de Petermann. 

Lora Koenig, especialista em glaciares no centro Goddard da Nasa, diz que os degelos assim rápidos acontecem todos os 150 anos e avisa que o deste ano pode ter vastas implicações. 

O climatólogo Thomas Mote, da Universidade da Geórgia, admite que este degelo extremo se deva a uma cúpula de calor que cobriu a Gronelândia entre 8 e 16 de Julho ou a uma vaga de ar quente particularmente forte.

Dia fora do Tempo

Hoje, 25 de Julho, é o dia fora do tempo do Calendário Maia. 


Neste calendário de 13 ciclos lunares hoje é o dia fora do tempo e assim termina 2012 :) num dia em que o sol, a terra e Sírius se alinham.



Um dia de celebração e de sonhar novos potenciais, de criatividade, de expressão!

para saber mais sobre o assunto ver aqui: http://www.pan-portugal.com/
                                                           http://sincronariodapaz.org/

terça-feira, 17 de julho de 2012

Adamus, White Eagle e o Bosão de Higgs

« Eu quero fazer uma breve menção aos avanços que estão ocorrendo. Primeiro, os avanços externos; depois, os internos.

Houve essa grande descoberta científica em 4 de julho, Dia da Independência. Não sabiam que foi planejado dessa forma pelos meus amigos maçons? [Risadas] Sim. Verdade. Grande pronunciamento. Ah, não está 100% certo, mas 99,9%. Essa é uma afirmação que voltará a assombrá-los. Essa coisa chamada bóson de Higgs, que é basicamente a partícula – o que ela não é, de modo algum, mas não quero dizer isso a eles... Essa partícula que basicamente coloca energia na matéria. E depois de dez bilhões de dólares investidos nessa pesquisa, apenas com o CERN, sem mencionar outros, eles tinham que fazer um comunicado de imprensa que dissesse alguma coisa, porque estão buscando mais financiamento. Disseram: “Achamos que descobrimos.” Na verdade, estão parcialmente certos. Eles descobriram metade da coisa. [Alguém pergunta: “Você está falando de fusão fria?”] Não, estou falando dessa “partícula de Deus”. Sim.

Então, fizeram o grande anuncio de que esse bóson, essa partícula, foi descoberto. Parcialmente correto. Interessante. Interessante.

Primeiro, quero dar a vocês muito crédito. Vocês sabiam disso antes mesmo de sair nas notícias. Vocês, na verdade, entendem isso energeticamente e, aí, os cientistas usam bilhões de dólares para tentar verificar. Não sei por que eles não vêm simplesmente falar convosco. [Risadas] Porque vocês possuem um entendimento inato de que há algo – há energia, é claro –, há algo que literalmente atrai as energias para irem em certas direções. O que estão chamando de bóson é, de facto, um tipo de ímãn que atrai certas partículas de energia para entrar na matéria, para formar a realidade física.

Bem, a pergunta é, em primeiro lugar, por que então apenas algumas energias vão para a matéria? Por que não todas? O que é que certas energias têm que as atrai para a matéria? Como o bóson, ou a energia, determina se ela vai para a matéria? O que acontece com as energias que não vão para a matéria?

KATHY: É, essa é uma pergunta melhor.

ADAMUS: É, eu sei. [Adamus ri.] E... e o que acontece – ah, pergunta grande –, o que acontece com as energias que vão para a matéria, porque elas não ficam lá para sempre? Então, onde é a porta dos fundos para deixá-las sair? Interessante.

O que vai acontecer com esse grande anuncio sobre essa partícula – ela é realmente um elemento –, mas o que vai acontecer nos próximos meses enquanto eles continuam pesquisando, é que alguém vai perceber que na verdade ela não está funcionando de acordo com o método científico. Eles viram funcionar por um tempo, e agora não está funcionando. O que eles vão fazer? Ficar de boca calada, se forem espertos e quiserem manter seu emprego! [Risadas] “Oh, sim! A velha partícula! Está indo muito bem, chefe! Sim, senhor – 99,9%.” Ohh.

Então, o que vai acontecer é que eles vão... De repente, os princípios científicos que eles estavam usando e os modelos padrão em que estavam se baseando subitamente não vão funcionar. Vai realmente deixá-los abalados. Vai fazer com que alguns fiquem loucos, porque pensam demais nisso, e não deviam. Mas eles vão perceber que ela não funciona do mesmo jeito todas as vezes. E, para uma validação científica, precisa funcionar, mas não vai, porque, primeiramente, não estão considerando isso para cada elemento, cada energia, cada partícula, cada tudo – com uma pequena exceção – que tem sua contraparte, sua sombra que existe numa esfera diferente. Não vêm juntos, na maior parte, para mesma esfera. Então, se há esse bóson de Higgs, digamos, nesta esfera que eles podem identificar, eles não estão vendo a outra metade – seu lado escuro, seu lado na sombra ou seu oposto. Não “escuro” no sentido de “mau”. Esse outro trabalha o tempo inteiro. Às vezes, é uma força oposta, às vezes, é complementar, mas precisa haver esse outro, na maioria das vezes, e eles não o estão vendo.

Então, isso vai confundi-los e desorientá-los sobre o que exatamente está acontecendo. Mas é bom, porque também vai motivá-los a perguntar: “O que realmente está acontecendo aqui?” E eles vão começar a chegar no entendimento de que as coisas não são lineares, que o método científico é válido em alguns casos, mas que é preciso ir além dos velhos métodos científicos em outros. É preciso compreender uma forma inteiramente nova de pensar, uma nova matemática para o universo, uma nova forma de entender a energia e seus movimentos. E eles estão dizendo que esse Higgs está em um campo. Não, ele não está. Ele está em todo lugar. Está em toda volta. Está bem aqui. Está na sua barriga agora mesmo. Está em todo lugar.

O que está motivando esse bóson? O que faz com que ele esteja lá em primeiro lugar? O que ele está fazendo? Ele é como um guarda de trânsito, na verdade. Está desacelerando as coisas no tempo apropriado. Está acelerando ou fazendo fluir o outro lado do trânsito. Mas por quê? Por quê? E até que realmente eles se perguntem isso, vão apenas gastar mais dez bilhões de dólares. Consciência é a resposta.

KATHY: “É como um… [inaudível]?”

ADAMUS: No. No.

KATHY: “Não está sendo afetado pelos cientistas.”

ADAMUS: Não. Sim e não. Deixem eu continuar aqui. Estou na pressão do tempo. Pobre, Cauldre, ele tem muito tempo.

Assim, queridos amigos, é como um guarda de trânsito direcionando energias, mas o que o criou? O que determina quais energias são colocadas na matéria, quais energias vão para outro lugar? Aonde elas vão? É a consciência. Mas o que tem maior efeito na consciência é a paixão por trás dela. A paixão por trás dela.

E isso não é energia. Não mesmo, e não é pensar, porque pensar não é algo apaixonado. E é aí que muitos de vocês se deparam com um problema. Vocês realmente pensam do seu jeito, e isso apenas os esgota. E há muito pouco resultado direto disso. É a paixão. Paixão não vem da mente, mas pode inspirar a mente. Paixão não é realmente criatividade, mas pode trazer a criatividade para fora. Paixão é simples. É expressiva. É aberta. É livre.»


Fala White Eagle (por Jonette Crowley):


«WHITE EAGLE: Bem-vindos, é mais a área do Mark, mas canalizaremos o Mark.

Ele acha que não é bem uma partícula e, sim, um portal. E um portal multidimensional. E é por isso que não atua sempre da mesma forma. E vão descobrir que não é apenas um portal, mas um zilhão de portais que atuam como um só. Por isso, é impossível para eles delineá-lo. É impossível para eles encontrá-lo com medidas científicas. É uma partícula adamantina de consciência, mas não é uma partícula de modo algum e, sim, uma abertura para o espaço. E o espaço é multidimensional. Obrigado.»


em inglês aqui: www.crimsoncircle.com/library

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Explosão Solar

imagem de MrSkywatcher on Facebook

Explosão Solar de categoria X a preparar-se...

Respirem fundo e prepararem-se para novas mexidelas energéticas nas próximas semanas...

quarta-feira, 11 de julho de 2012

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Bosão de Higgs e a partícula de Deus

Foi no dia 4 de Julho, não queremos deixar de assinalar, que se fez o anúncio que se tinha conseguido a confirmação da existência dessa partícula.

"A descoberta de uma partícula consistente com o Higgs abre a porta a estudos mais detalhados e requer grandes análises estatísticas, que permitirão afinar as propriedades da nova partícula e ajudarão provavelmente a esclarecer outros mistérios do nosso Universo", sublinhou o director-geral do CERN, Rolf Heuer, no comunicado.
Daqui: http://www.publico.pt/Ci%C3%AAncias/descoberta-nova-particula-que-pode-ser-o-bosao-de-higgs-1553327

ver também aqui: http://blogs.estadao.com.br/radar-cientifico/2012/07/04/perguntas-e-respostas-sobre-o-boson-de-higgs/

O que é o bóson de Higgs?
Atualmente, a partícula integra apenas teorias, inclusive a do Modelo Padrão, de que partículas compõem átomos, moléculas e tudo o que vemos e respiramos. A teoria, porém, não explica como essas pequenas partes ganham massa, tomando efetivamente forma. O bóson de Higgs seria justamente o que permite a essas partículas ganhar massa.
Como ele funciona?
Massa é, basicamente, o corpo de uma partícula (ou de qualquer outro objeto). Se não fosse pela massa, as partículas viajariam livremente pelo universo na velocidade da luz, jamais se uniriam e não haveria matéria. Segundo a teoria, existe um campo permeando o universo – o campo de Higgs, formado pelos bósons – permitindo que toda partícula obtenha sua própria massa. Qualquer partícula que interaja com esse campo ganha massa.
Mas apesar de se tratar primordialmente de massa, bóson de Higgs não tem massa própria estipulada inicialmente pelo Modelo Padrão.
Como os cientistas buscam o bóson?
No LHC, o maior e mais poderoso acelerador de partículas atual, os físicos provocam a colisão de raios de partículas subatômicas chamadas prótons a uma velocidade próxima à da luz. O processo gera um pequeno lampejo de energia que libera uma quantidade enorme de novas partículas.
Mas o bóson não é visível, mesmo com a tecnologia e os equipamentos avançados. O que os cientistas fazem é buscar traços deixados pelo bóson, uma vez que acreditam que a partícula se divide em outras menores após a colisão, deixando um rastro que dura um espaço curtíssimo de tempo.
Quando saberemos se a partícula foi achada?
O primeiro passo é estabelecer a massa do bóson, o que seria obtido com as informações obtidas sobre as pequenas partículas que servem como seu rastro. Depois, é preciso identificar se a partícula se comporta como a teoria prevê – a forma como interaje com outros elementos e como se desfaz em partes ainda menores.
E depois?
A descoberta efetiva do bóson vai confimar a teoria do Modelo Padrão e ajudar a explicar como o universo se formou, mas muitas questões permanecerão. Sabemos que o universo é composto de matéria, mas ela responderia somente por 4% do que podemos ver dele. O resto é formado por matéria e energia escuras, elementos que pouco conhecemos.
O que de fato o Cern conseguiu?
Os experimentos do Centro Europeus de Pesquisas Atômicas levaram à descoberta de uma nova partícula que pode ou não ser o bóson. Os cientistas identificaram uma curva nos dados sobre variação de massa após a colisão de hádrons que denunciou a presença de uma nova partícula cerca de 133 vezes mais pesada do que o próton existente no âmago de cada átomo.
O que não se sabe é se a partícula descoberta é realmente o bóson de Higgs, uma variante ou uma partícula subatômica completamente nova, que leve a reformulações das teorias sobre a formação da matéria. Os físicos responsáveis, porém, disseram que há indícios “fortes e sólidos” de que se trata da tão buscada partícula.
Por que ele é chamada de ‘partícula de Deus’?
Há diversas versões sobre isso, mas a mais disseminada tem como base o fato de que sem o bóson de Higgs o universo não se formaria. Assim, há uma referência irônica à teoria do criacionismo.
No dia 30 de Junho houve uma gigantesca explosão solar que se começa agora a manifestar no planeta, mas entretanto uma nova explosão, embora mais pequena se prepara :)

Ficam as fotos sempre extraordinárias de todos estes movimentos.




2012.07.05

Fontes: www.spaceweather.com 
http://thewatchers.adorraeli.com/2012/07/06/strong-solar-activity-continues-minor-geomagnetic-storm-possible/

quinta-feira, 5 de julho de 2012

EM Julho na EVEA

Destacamos este mês:





A Escola do Despertar

I.   Primeiro respirar!



8 de Julho, domingo - inscrições ainda abertas até amanhã de manhã

Aqui e aqui  


___________________________


Curso de Reiki 2
                      12 de Julho, quinta-feira

                                             ___________________________



Workshop de
Introdução às jornadas multidimensionais
15 de Julho


Para ir além do tempo...

Desvelando os véus de Maya

                                             ___________________________


Ascensão e Construção da Nova Terra
        Ao Encontro da Rede Cristalina


21-22 de Julho 

Expansão e Fusão...


na Rede de Consciência Cristalina


Assumindo o papel da mestria na Nova Terra






Para informações e inscrições contactar Patrícia Almeida: 


estreladavida.esteladaaurora@gmail.com


...no Mês da Gratidão...


Inspira Amor...

Expira Gratidão...


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Reflexão do Mês - Julho - Mês da gratidão

 
                   Julho
                           Mês da Gratidão

      Mês do Desvelar de Maya
      Além do tempo  
Mais um mês extraordinário neste ano de 2012! O trânsito de Vénus no início de Junho trouxe algo de maravilhoso: um abraço, um afago da alma, uma alegria imensa e inexplicável e espero que a todos vós, caros leitores, também tenha chegado de algum modo esta onda amorosa. Renovação, reconfiguração, renascimento e abertura estão na ordem do dia. Estás a apanhar a onda?
         
Vénus alinhou-se com o planeta Terra e Gaia fez uma celebração de vida! Plêiades e o Sol Central (“administrativo”) da galáxia alinharam-se igualmente enviando o seu impulso de luz e libertando muitos registos, muitos aspectos que têm estado como que confinados nas suas realidades… 

Houve movimentos sísmicos mais relevantes na falha do Atlântico – Açores -, junto ao Algarve e em Freixo de Espada-a-Cinta em terras lusas. Tal como se previa, o mundo das finanças retraiu-se e andam todos a fazer contas à vida; aliás, foi interessante observar os políticos a correr de um lado para o outro a tentar salvar tudo à última hora e é também interessante como agora a palavra chave é já crescimento e não austeridade, mais que não seja para dar esperança às massas enquanto as mentes brilhantes borbulham por soluções que - agora sim - terão de ser criativas e inovadoras. O campeonato europeu de futebol manteve as pessoas distraídas durante um mês, projectando sonhos numa vitória que nunca chega qual fado nacional a par do regresso das brumas de D. Sebastião… ;) No Brasil, o encontro pela Terra, sustentabilidade e biodiversidade ficou pelas boas intenções, mas mais e mais pessoas se questionam sobre como se deixaram chegar a este ponto onde tudo parece estar em ruptura e começam a erguer a sua voz, embora ao princípio nada pareça ter consequência do ponto de vista executivo, é um impulso para a transformação. Quando as massas acordam, quando o questionar individual chega, é como sair de um marasmo e atavismo que nem se sabia que aí estava e tal gera perplexidade e desconforto interno; ora, essa perplexidade pode gerar estado de choque e deixar as pessoas inactivas ou, pelo contrário, em revolta / drama / energia de vítima sem perceberem que foram elas que votaram nos políticos, que se calaram perante a corrupção e o facilitismo, pelo laissez faire, laisse passer deturpado, que foram no andando e vamos vendo, esperando sempre acção salvífica vinda de algum lado fosse da Europa, da ONU, de Deus, deste ou daquele sem terem de contribuir com nada para o assunto. Alguns insistem ainda na guerra e metem a cabeça na areia como a avestruz para ver se os ventos da mudança não lhes chegam, agarrando-se com pés e dentes a um passado que já não é como é o cado da Síria, num limbo de desvario e escalada eminente ao espicaçar a Turquia: são histórias muito antigas que se jogam, alianças obsoletas, posturas onde a vida humana ainda não é honrada e é carne para canhão como outrora nos tempos de senhores e servos…


 Bem, Junho trouxe-nos ainda nuvens azuis, num fenómeno crescente e em expansão a sul do polo Norte como nunca antes visto[1]. Junho trouxe ainda a alquimia do fogo e da água: só nos estados Unidos contam-se as cheias derivadas das tempestades tropicais na Flórida e estados vizinhos, bem como os incêndios gigantescos do Colorado, por exemplo. Nós por cá continuamos nas oscilações de temperatura deste recém-chegado Verão que continua de Primavera aqui para norte. Ah… o solstício! Que belas energias se expressam por estes dias! Kuthumi veio lembrar como tudo corre melhor se levamos a vida com um sorriso e nos atrevemos a confiar e a brincar com as energias; Merlin veio desafiar a usar este manancial imenso de energia ao nosso dispor, Sanat Kumara veio perguntar se estás pronto para vir como um mestre e expressar a tua soberania. E, sim, para celebrar o solstício um sinal de mudança: no meio do caos urbano os ventos da diferença estão aí com centenas de pessoas a ocupar a emblemática Times Square na Broadway em Nova Iorque[2] para um dia de yoga! O final de Junho trouxe novas activações cristalinas desta feita no Monte Shasta, Califórnia, com um novo eclipse (parcial) do outro lado do Atlântico e o sol continua em ebulição entrevendo-se um verão energeticamente quente. 
 
Imagem www.space.weather.com  -  30 de Junho                                                   photoblog.msnbc.msn.com – 20 de Junho
 
Então, e Julho? Podemos contar com um aceleramento de tudo o que se tem falado nos últimos meses. Passamos para velocidade concorde ou TGV se preferirem. Cada vez mais intenso, cada vez mais rápido… como um tornado que passa e só deixa de pé o que tiver bons alicerces ou for flexível como o bambu (lembram-se de falarmos das raízes no mês passado? Espero que tenham praticado e que seja já algo natural). E por isso o factor tempo é fundamental. Ou melhor dizendo a percepção linear de tempo.

A onda que se libertou com os movimentos solares e planetários, com eclipses e afins afectando todo o campo electromagnético que, já viramos como sendo relacionados com os aspectos emocional e mental[3], está assim a trazer toda essa energia ao de cima. Muitos têm tido sonhos fora do comum e/ou pesadelos com perseguições, com prisões, com situações de sofrimento ou desgosto. Muitos têm tido percepções de presenças desconfortáveis, de espaços que dão um arrepio que tira a alegria, de encontrar alguém ou apenas passar na rua e ver alguém a ter um comportamento ou conversa irracional sem que se esteja a dar conta. Muitos têm lembranças de acontecimentos do passado, da infância e juventude, avivam-se feridas, reencontram-se pessoas o passado. Adamus falou das energias de separação que antecedem a unidade, esse depuramento final[4] e também falou há poucos meses do tubo da realidade[5]. Julho é o mês em que o tubo parece misturar-se com outros tubos que estavam ali ao lado como que em realidades paralelas. Não deixam de ser “tubos” e de ter confinamento associado, mas o que se passa é que agora está-se a viver muita coisa em simultâneo… Aquelas partes de nós que mantínhamos no mundo das fantasias, no mundo das dores e sofrimento, no mundo dos sonhos e pesadelos, no mundo das insatisfações, no mundo das vinganças camufladas e declaradas, no mundo dos ódios e das raivas como se não nos pertencessem estão aí agora. Isto se ainda não fizeste o trabalhinho de casa ou se o tens feito a passinho de bebé.

Os véus separadores das diversas realidades astrais diluem-se. Os véus de separação de Maya – na versão hindu -, os véus de Ísis - na tradição egípcia -, os véus da ilusão estão a dissolver-se na onda cósmica de luz onde tempo e espaço não têm qualquer significado. Na realidade física tridimensional tempo e espaço, mente e razão existem para um enquadramento específico, para permitir uma série de experiências que no avançar para realidades qualificadas de 4D, 5D já não apresentam os mesmos parâmetros. 

"O tempo não é de maneira alguma o que parece ser.
Ele não flui em um único sentido,
e o futuro existe simultaneamente com o passado."
Albert Einstein (1879-1955), físico
 Ao libertarmos o nosso passado, as nossas histórias, as nossas crenças, as nossas programações, ao deixarmo-nos viver no Agora, experimentando e criando a cada instante – reinventando-nos a cada dia -, o passado tem pouco ou nenhum peso sobre nós (quando muito as lições, as experiências) e o futuro é uma construção do Agora. Aliás, cada vez que retiras o peso do estigma do trauma, das dores, dos complexos, às tuas memórias, aos teus aspectos passados, cada vez que entras em aceitação ou em transmutação/alquimia, estás a transformá-lo e o que então ficou preso e emperrado em ti, o que ficou por experienciar liberta-se e o tu futuro tem assim novos potenciais, novas cores. Lá dizia Tobias que o futuro é o passado curado. Então tudo é uma viagem de consciência. E todos estão a ser chamados a esta viagem, quer o estejam a sentir quer não.

Os tubos a tocarem-se… ou talvez a encaixarem-se num só… É como deixar de ter a noção clara de quando se está a sonhar e quando se está acordado. É olhar para o relógio e o tempo ter passado num ápice sem que se tenha dado conta. É o andar cansado de rastos porque não se parece ter tempo para nada. Ora o tempo está intimamente associado com a mente e com e necessidade de estruturas, de pontos de referência… Se estás em busca de um mundo novo, de vida nova e estás a libertar o passado, lá se vão as ancoras, as estruturas: os teus alicerces agora são na tua consciência, na tua alma, na tua Essência, movem-se na Nova Energia, no Agora, és um Viajante do tempo pois sabes que nada te condiciona, que nada te limita! Que nesta realidade te é útil ter esses parâmetros de referência, mas que não te restringes a eles: És multidimensional! Vives em várias dimensões em simultâneo, crias as tuas dimensões, viajas entre as dimensões e nada te prende, pois já fizeste, estás a fazer, irás começar ;) essa purificação e transmutação dos teus grilhões de formas-pensamento, de emoções mal resolvidas, de sistemas do passado.


Para lá da superfície, para cima e para baixo, dentro e fora, muito há para lá do que vês e acreditas existir. Por isso a imagem inicial da gruta paradisíaca sob o poço. Não são apenas as realidades sombreadas da tua consciência que estão a vir ao encontro do teu pulsar, do teu respirar. Essas realidades harmoniosas, para lá das concepções da tua mente, também estão a vir até ti. Claro que é quanto mais deixas de ignorar as primeiras que consegues arranjar “espaço” interno para sentir as segundas. Os templos de luz, os mundos etéricos também estão a chegar. A Nova Terra está já aí.

O eu divino vem tocar o eu humano. A tua alma, a tua Essência vem para fazer parte da tua vida, num só pulsar, um só respirar. Este é o momento do Reencontro.


Julho é o mês do aceleramento do dissolver interno e profundo dos véus. É como um sopro que vem e deixa ver novas divisões dentro de casa, umas cheias de aranhas, pó, entulho e bicharada, outras cheias de beleza, abundância, doces fragâncias, criatividade, clareza. 

Quanto mais Luz há na tua vida mais sentes, vês, cheiras, saboreias (ou não), escutas essas novas “divisões” dentro de ti. A Luz deixa ver melhor a bicharada que estava camuflada nos cantos e a necessidade de uma faxina. Ora se isso está a acontecer à escala individual e colectiva, há muita gente a ficar aterrada com a sua fobia (até aí desconhecida) à bicharada e com o sentimento de que não sabem, não conseguem, são pequeninos para sair da situação andando às turras contra as paredes em busca da saída… O corpo clama por atenção e por que te decidas a libertar essas energias, mas como tu já te entupiste tanto, já nem acreditas que o corpo tenha sabedoria para se auto-regenerar, ainda te estás a densificar mais.

Que fazer em Julho? Renovar a relação de confiança – amor – gratidão com o corpo e assim com a realidade física.

Gratidão? Sim. Os olhos da gratidão implicam um valorizar do que é realmente importante em nós, de tudo o que já temos, é um relativizar de tanta coisa na vida, pois se vivemos uma relação de gratidão com tudo o que existe estamos a libertar-nos de juízos de valor, de julgamentos, de vidas de exigências, de quantificação, … É um conselho que te dou: vive em gratidão, dá graças pelo que tens na tua vida mesmo que te pareça que não tens tudo o que precisas, que estás a perder direitos e regalias adquiridas e que o teu corpo está em luta contigo… O valorizar o que tens, mesmo que aparentemente tudo esteja a entrar em colapso, vai sintonizar-te com energias de valorização… A gratidão é frequência de abundância e não de escassez…

Oferece-te gratidão. Oferece-te respeito por ti mesmo. Podes ser despojado/a de tudo (o exterior) mas podes manter a tua riqueza interior. E com ela criar algo radicalmente novo: a verdadeira abundância.

Oferece-te gratidão. Oferece-te momentos em que podes saborear bem-estar e amor por ti. Nem que seja um momento de paz, de contemplação, 5 minutos de paragem no meio da correria do dia a dia, o observar a árvore que se vê pela janela, as tarefas dos pássaros ali perto, o passar das nuvens em formas sempre em mutação, um momento de carícia, um fruto ou um doce só para ti porque tu mereces…

Oferece-te gratidão. Honra e o teu corpo dá-lhe o que ele precisa: alimentos vivos e nutritivos, gostosos e deliciosos também – mas fá-lo conscientemente -; dá-lhe exercício para manter as energias em movimento, nem que seja uma caminhada.

Oferece-te gratidão. Experimenta agradecer até pelas situações que possas considerar injustas, desequilibradas na tua vida. Dá-te a oportunidade de as transformar. Mesmo que seja o chefe implicativo, o trabalho sem interesse e cansativo só porque permite um salário, os filhos nas suas fases, o autocarro atulhado de gente malcriada e abusadora que te cansa, a amiga que só te telefona para despejar o “saco” das suas misérias e não está nem aí para ouvir as tuas… Tira o peso a essas pessoas, a essas situações, às obrigações com um “sou grato/a por te ter na minha vida”. Não é preciso entrares numa reflexão de porque está na tua vida, mas procura libertar-te de qualquer visão de peso, castigo, … Experimenta fazê-lo neste mês de Julho.

E até vais conseguir encontrar e enumerar todos os dias 5 coisas belas que viste, sentiste. 5 coisas belas! Se calhar até mais que isso, mas pelo menos 5!

A gratidão é sentimento de alta frequência. Permite-te ir além das emoções pequeninas. As pessoas tornaram-se bastante ingratas nos dias de hoje, tomam tudo como garantido, como obrigações e direitos. Se estiveres a reparar, a energia até mudou quando começamos a abordar estes assuntos. Vamos mudar este ponto que é tão simples… Ver a beleza do mundo e aquela que existe no nosso mundo, na nossa vida, o que é realmente importante para nós e o que é supérfluo, ou circunstâncias da vida que não nos pertencem, apenas se cruzam connosco, mesmo que esteja a ser todos os dias…

Aprender a ver a beleza do mundo dissolve os véus da consciência, faz-te sonhar.

Respira essa beleza e deixa-a plasmar na tua vida, que seja mais presente, mais constante. Usa a tua criatividade, a tua imaginação para buscar novas soluções e, mesmo que pareçam pouco palpáveis, irreais, brinca com elas e assim te permitirás começar a manifestar os desejos da alma até que se possam concretizar.

Aí estás a ir além do tubo da realidade, do tempo linear, a expandir-te mais além. Não pares de sonhar, de projectar. Estar no Agora é ser criativo e criador. Lembro de novo que a energia é literal e que o viver no “amanhã se verá” faz com que chegues ao amanhã e não tenhas lá nada pois nada criaste… o mesmo com “o vamos andando e vamos vendo”. Dá o teu melhor a cada dia e espalha as tuas graças, as tuas bênçãos pelo teu passado, pelo teu hoje, pelo teu amanhã. Isso é ser livre! É não estar preso no que foi, nem no que será, mas em renovação permanente. Reinventa-te dia a dia.
E, quando sentires que o tempo passa por ti a correr, que um turbilhão de energias, de emoções d e pensamentos te invadem vindos do nada, lembra-te das tuas raízes, de fazer uma respiração profunda e que tu não és o turbilhão, és essa respiração de alma, paz e gratidão.

Em 2012 tudo está em aceleramento. O que escolhes?

Fica em paz

Eu Sou
Patrícia Almeida
& Cª

Podes divulgar este texto desde que mantenhas a referência ao autor Patrícia Almeida, ao blog e site estreladavida.estreladaaurora.blogspot.com e www.osilenciodamontanha.com

A inaugurar a Escola do Despertar neste mês de Julho para contigo partilhar a beleza destes novos tempos e o desvelar dos teus potenciais mais elevados. :-)

Ficheiro pdf aqui