quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Nas Asas da Ascensão

A 30 de Janeiro teremos o Evento
imagem retirada da net


Nas Asas da Ascensão
Um dia com Serapis Bey e Kuthumi Lal Singh

Há umas semanas, Kuthumi dizia que de vez em quando devíamos abrir as nossas asas não para voar mas para apreciar a sua beleza, lembrar-nos que estão lá, tirar o pó às penas e simplesmente fazê-lo porque elas estão lá, fazê-lo pelo simples prazer que nos traz.
(Kuthumi através de Marisa Calvi)

Eu sorri interiormente quando li isto, pois tinha acabado uns minutos antes de ver umas asas multicolores abrindo-se ao sol em terras do Egipto. Belas sincronicidades.

Então, o convite é de por um dia tirar as asas do armário J e vir passeá-las connosco, para descobrir o que estes dois Amigos Ascensos têm para partilhar. Tal requer que trajes toda a tua confiança para assumir tudo o que És.

Pré-requisitos: Reiki 2,  vontade de Fusão na Essência, e os supracitados. J
* Observação: não é aconselhada a participação a quem estiver a tomar medicamentos associados a psicoterapia, alterações de humor,  ou qualquer espécie de substâncias psicotrópicas.

Valor para os alunos: €70,70

Inscrição até dia: 27

                    

2 comentários:

Procyon disse...

Deixei passar mais de uma semana, para tentar dizer algo sobre “Nas Asas da Ascensão”; ler, ouvir, ouvir dizer, falar sobre, … tudo é sem sentido, pois sem sentir não se deve opinar e mesmo sentindo muitas vezes não nos sabemos exprimir…

Dia fantástico! Por nós ficávamos ali só a “curtir” (também tenho direito, pois ainda me considero um jovem) o que nos vinha. Estava-se bem, muita energia , que eu sem a ver podia sentir…

Ascensão, por si só é uma palavra carregada de Makyo, mas quais as palavras sem conotação? Depende como sentes e vives a tua “Ascensão” , pois para todos nós que temos a vontade de nos aproximar (mesmo nos afastando depois) da palavra “Ascensão”, somos anjos (mais evoluídos um pouquinho) que vivenciamos experiências mais além.

Experiências… tudo se resume a experiências e vivências; neste momento (atendendo ao tempo que estamos habituados) a minha “experiência” como anjo encarnado na terra, casado, três filhos, labutar todos os dias (tudo criado por mim e não só) como consigo dar um passo para o mais além?
Mais fácil é continuar aqui, vivendo como todos vivem, fazendo como toda a Matriz quer, mas aí está a minha prova, sair e viver o meu anjo aqui e agora. Estamos muito agarrados ao carro, casa, filhos (pensamos que são nossos…); e o tal desapego? Claro que o tempo de viver o claustro já acabou, mas, e viver com tudo, VIVENDO?
Será que não me faço pequenino de propósito? Sim sei, pois se assim não fosse, talvez não me renderia a tanta beleza que por aí há e deixava este mundo cinzento que eu vejo, sim sou eu que o vejo, logo tenho que viver com ele e ascender no meio do meu mundo cinzento. Meu e de mais alguém, pois somos muitos que gostávamos de ver mais cor no coração do Homem e de Gaia…

“Palavra, vem o vento e leva-as” – Vivam, sintam, sem antes julgar e sem expectativas…
Para mim o que de lá trouxe, foi um friozinho, que me corre o corpo, quando estou mais de encontro comigo mesmo. Esse frio é de tanto amor, que não dá para explicar, amor esse que vem de mim e é para mim. Depois posso partilha-lo com tudo e todos.

Isso é um princípio para a ascenção…
DG

P Cristininha disse...

Namastê DG!
Foi um dia deveras especial...
e sim porque nós podemos e nós merecemos!
Continua a fazer brilhar as tuas asas.
Love